Ao paraíso, de bicicleta

Ótima música para começar o ano de 2015: Paradise, da banda Coldplay.

A letra fala de desilusões, sonhos e esperanças que se renovam.

E o video aproveita a imagem da bicicleta como opção de fuga de uma realidade opressiva e viagem em busca de um sonho.

Bom 2015!
Pedale rumo a seus sonhos e esperanças!
Se não dá para usar bicicleta, vá de monociclo, mas vá de alguma forma!

[.]

Lista de presentes para ciclistas de todas as idades

Pode ser difícil comprar um presente para quem anda de bicicleta. Às vezes o presente não parece tão útil, ou tão bonito, ou então é muito caro.

Nesta época do ano, é possível encontrar listas pela internet. Uma das listas mais interessantes foi mostrada pela Sustrans. Desde presentinhos, a luzes que piscam (no espírito da época!) até alforjes e cestas estilizados.

Um jogo de cartas, estilo trunfo, que compara as bicicletas mais caras, as mais rápidas, mais fortes.

Ou campainhas de bicicletas pintadas à mão pela designer Annie Legroulx

campainhas

 

Um fazedor de bolha de sabão, que une duas grandes diversões da criançada: fazer bolhas enquanto anda de bicicleta!

Que tal o Spherovelo, uma bicicletinha estilizada para crianças de 10 a 24 meses?

Para ciclistas maiores e mais experientes, um kit de ferramentas Nutter. Combinadas em um conjunto enganosamente simples, a própria capa em couro reciclado quando dobrada torna-se a bolsa que carrega o conjunto.

E os presentes podem ser embrulhados em papeis exclusivos, bicicleta como tema até na etiqueta “de para”.

 

Na loja da Sustrans tem muito mais. Fica no Reino Unido, os preços estão em libras, e o frete fica em torno de 30% do valor da compra.
Recomendo!!

O Natal já passou……?

A lista vale para o ano inteiro, aniversário, dia dos pais, namorados, uma ocasião especial – ou um dia simples e qualquer, como todo dia de pedalada, para deixar um ciclista feliz!

[.]

 

Bicicleta com rodas de gelo

Colin Furze é o típico inventor maluco. Britânico, de Stamford, ele cria várias engenhocas e coloca os vídeos no seu canal no Youtube.
Já converteu uma scooter num lança-chamas e criou as garras do Wolverine com um sistema pneumático. O vídeo mostrando isto já teve mais de 6 milhões de visualizações. Fez sapatos magnéticos e caminhou no teto. E ganhou o recorde mundial ao fazer um carrinho de beber andar a mais de 100km/h.
Claro, ele já foi preso pela polícia, já foi envolvido por uma explosão de chamas e outras coisas loucas nos seus vídeos muito loucos.

Uma de suas últimas invenções foi uma bicicleta com rodas de gelo. Veja os vídeos.
No primeiro, ele fez testes e constrói a bicicleta.
No segundo, sai para pedalar por aí.

Deve ser muito divertido dar rodopios numa pista de gelo numa bicicleta com rodas de gelo!

Diário de uma bicicleta

 Diário de uma bicicleta é uma das faixas do CD “Sobre noites e dias”, de Lucas Santtana.
sobre_noites_dias

Também vendido em vinil! :-) aqui ou na página dele no Facebook

O crítico Arthur Dapieve publicou no jornal o Globo uma crítica superpositiva do CD.

Mas chega de lenga-lenga e vamos direto ao som. Clique na imagem abaixo e escute a faixa disponível no Kboing.

Diário de uma Bicicleta (feat. De Leve)

Bom demais!! O ritmo, a pegada urbana com os versos do rapper De Leve, preste atenção na letra!!
e uma notícia boa na linha do tempo do Facebook do artista. Em breve teremos videoclipe da música.
Lucas_Santtana

Agradeço ao Márcio Almeida pela excelente dica. Com certeza já entrou para a lista top 10 das músicas com tema e letra sobre bicicleta.

[.]

O Muro de Berlim

Muro_Berlim_DW_0

Quando o Muro de Berlim caiu, 25 anos atrás, eu estudava alemão no Goethe Institut e estavam aqui no Brasil a Birgitt e o Andreas, fazendo intercâmbio acadêmico. Ela e ele vieram passar um tempo para ensinar, valendo crédito pra os estudos.

Naqueles dias vivi a empolgação do mundo e, bem de perto, a euforia deles dois. Hoje, ainda lembro do jeito da Birgitt e do Andreas me convidando para fazer caminhada sobre a neve das montanhas da Baviera…

Se fosse em outros países do mundo, o Muro seria derrubado e, no lugar dele, construiriam apenas avenidas de pistas largas ou estacionamentos para carros.

Mas em Berlim eles construíram uma ciclovia de 160 km ao longo do antigo Muro, para que os locais fossem visitados com a calma necessária.

Muro_Berlim_DW_2

Diante destes monumentos, e do que eles representam, é necessário um outro modo de ver que só a bicicleta – ou o andar a pé – permitem.

De bicicleta, é possível conhecer o Muro de outra forma. É possível vivenciar a cidade com os sentidos, olhos, ouvidos, nariz. As impressões são mais intensas. De bicicleta é possível captar muito melhor todas as informações. Precisamos de mais tempo para o trajeto, mas com isto as emoções são mais intensas.

Günther Schluche  – Coordenador de Planejamento da Fundação Muro de Berlim

Inaugurada em 2006, a ciclovia acompanha a faixa de vegetação que foi preservada no entorno do Muro. A ciclovia passa também pela East Side Gallery, a maior galeria de arte a céu aberto no mundo.

Clique nas imagens a seguir e assista dois vídeos produzidos pela DeutscheWelle Brasil sobre o Muro de Berlim e bicicletas:

Muro_Berlim_DW

Muro_Berlim_DW_3

A parte de mim que decidiu ser alemão por opção está muito mais feliz agora do que naqueles dias de festa ao lado da Birgitt e do Andreas.

[.]

“Peças” – graphic novel sobre bicicleta

Quem anda de bicicleta sabe como é entrar numa curvar e derrapar, perdendo o equilíbrio. Sem cair, o mundo meio gira e meio, fica a sensação de onde estou?, até se recuperar.
Quem lê um bom livro sabe como é ir pela narrativa, até que um capítulo, um parágrafo muda tudo, muda o rumo.

Entrei numa destas curvas e cheguei num destes capítulos.
Mas o caminho de bicicleta e o livro continuam.
E para prosseguir, nada melhor do que falar de um livro que vai ser muito bom.
Como assim vai ser?

graphic_novel_Peças

O livro é um projeto de financiamento coletivo no Catarse.
Se você contribuir com R$ 10,00, recebe o livro no formato digital (PDF).
Se contribuir com R$ 29,00, recebe o livro impresso.
Há vários outros valores maiores para contribuição, com diferentes brindes além do livro.

Saiba mais direto na página do projeto:

“Peças” é uma graphic novel da dupla Aline Paes e Thiago Cascabulho, e primeira publicação do selo “StoryFunding – histórias com impacto”, em parceria com o Instituto Aromeiazero. Caso o livro seja financiado, 20% do valor arrecadado será destinado aos projetos do Instituto Aromeiazero.

Sinopse: M. é um manequim de loja aficionado por pedalar. Quando sua amada bicicleta é roubada, ele é obrigado a percorrer a surreal cidade em busca das peças perdidas de sua companheira, deixando um pouco de si pelo caminho.

CARACTERÍSTICAS DO LIVRO:
80 páginas em preto e branco, 17 × 10cm

Veja o vídeo:

E – mais importante! – participe você também!

Para contribuir no Catarse, você precisa fazer um cadastro. O processo é muito fácil. Depois basta logar com email e senha, ou pelo facebook, e escolher a opção de pagamento (pay pal, cartão ou boleto).
Já participei antes, no projeto do excelente CD Janelas, e agora contribuí com R$ 29,00 pelo livro impresso – porque nenhuma tela de luzinhas substitui o cheiro de livro novo!

Feliz por ser um dos futuros proprietários do livros Peças. :-)

Você pode mudar sua cidade para melhor

Este vídeo merece ser visto e revisto. Feito pela CNN para a série Most Innovative Cities, poderia facilmente transformar-se na síntese do programa de um governo que realmente queira mudar as coisas, prefeito, governador ou presidente da república. A bicicleta conduz a narrativa, mas o vídeo dá uma visão geral do que seria uma cidade sustentável.

O original está em inglês, sem legenda. Para dar a maior divulgação possível do conteúdo, que é muito bom, fiz a transcrição e a tradução.


Cities are old, and sometimes tough to change. But what if you could start over? And create an innovative city everyone would love. Not in a move to Mars, biodome kind of way, but here, on Earth. Let’s start close to nature, add energy efficient buildings made of renewable materials, like wood and natural rubber. Don’t forget the solar panels. And while we’re at it, let’s reduce congestion. Add in recycling and composting programs. A dense population is an important part of innovation. All of those different people meeting and sparking ideas off of one another. So let’s get all kinds of people together, create neighbourhoods with a variety of affordable housing options. Make sure these people can make a living wage and give their kids access to education. Make transportation affordable, i.e, bike lanes and bike share programs, because keeping people healthy is a priority. So let’s provide free apps and tools to keep people active and work with local farmers to provide fresh food for everybody. When infrastructure ages, let’s repurpose it. That library becomes a community centre. In order to keep a city sustainable, it’s important to elect officials who can see green. No, not that kind. This kind. But what is most important to keeping a city innovative, in short, it’s you.

As cidades são antigas, e às vezes difíceis de mudar. Mas, e se você pudesse começar de novo? E criar uma cidade inovadora que todos gostassem?? Não viajando para Marte, criar algum tipo de biodome, mas aqui, na Terra.
Para começar, vamos ficar perto da natureza, adicione edifícios energeticamente eficientes feitos de materiais renováveis​​, como madeira e borracha natural. Não se esqueça dos painéis solares.
E já que falamos disto, vamos reduzir o congestionamento no trânsito.
Adicionar um programa de reciclagem e compostagem.
Uma densa população é parte importante da inovação. Todas essas pessoas diferentes se encontrando e trocando ideias brilhantes entre si. Então vamos colocar todos os tipos de pessoas juntas, criar bairros com uma variedade de opções de alojamento a preços acessíveis.
Certifique-se que essas pessoas possam ganhar um salário digno e dar acesso à educação aos seus filhos.
Faça com que o transporte seja acessível, ou seja, com vias para bicicletas e programas de compartilhamento de bicicletas, porque manter as pessoas saudáveis ​​é uma prioridade. Então, vamos fornecer aplicativos e ferramentas gratuitas para manter as pessoas ativas e trabalhar com os agricultores locais para fornecer alimentos frescos para todos.
Quando a infraestrutura envelhecer, vamos dar outra utilidade para elas. Essa biblioteca torna-se um centro comunitário.
Para manter uma cidade sustentável, é importante eleger pessoas que olhem para o verde. Não, não é desse tipo ($$). Este tipo (natureza).
Contudo, o mais importante para mudar e manter uma cidade inovadora, em suma, é você.


Você pode ver o vídeo em tamanho maior na página da CNN.

[.]

Eleições, bicicletas, bibliotecas

Por algumas semanas pensei em escrever sobre as eleições. Iria fazer uma compilação dos programas dos candidatos e suas respectivas propostas sobre bicicletas e livros (no caso, bibliotecas).

Ia escrever sobre tudo isto, mas tenho muita dificuldade de falar de política, principalmente desta política que está aí. Pois não acredito nela, nem a reconheço como legítima.
O nosso destino – karma, nossas ações e as consequências delas – não deve ser delegado a ninguém.

Por sorte, há pessoas muito mais capacitadas que eu para fazerem a análise da situação atual! Anteontem a escritora Eliane Brum publicou um texto excelente, que diz exatamente o que penso sobre Dilma, Marina. Leia.

O livro que ilustra lá em cima foi citado no texto da Eliane Brum e já entrou para a minha lista “dos que devem ser lidos com urgência”. Vê o texto dela e saberá porquê.

De todo modo, para não votar nulo a pedido do meu filho (ele aprendeu na escola que votar nulo não serve pra nada – na verdade, acho que é a escola que cada vez mais serve pra nada, ou como queira, serve apenas para manter as coisas como estão), prometi que não ia votar nulo desta vez e tive a paciência de entrar em todos as “propostas de governo” registradas no TSE pelos candidatos e candidatas à presidência. Em baixo do nome de cada candidato está um link que leva direto ao seu programa de governo. Usando as ferramentas de pesquisa do navegador, busquei por “biblioteca” e por “bicicleta”.

Eis o resultado:

Dilma Rousseff
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Marina Silva
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Aécio Neves
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas:
– Robustecimento do Sistema Nacional de Bibliotecas, com vistas a implantar novas unidades e socorrer bibliotecas regionais de referência
–  Apoio à modernização dos equipamentos escolares, incluindo a instalação de bibliotecas e laboratórios
Bicicletas: não encontrado

Pastor Everaldo
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Levy Fidelis
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Zé Maria
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Eymael
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Luciana Genro
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Mauro Iasi
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Rui Pimenta
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas: não encontrado

Eduardo Jorge
propostas de governo registradas no TSE
Bibliotecas: não encontrado
Bicicletas:
[no item sobre eficiência energética] A adoção de automóveis e ônibus elétricos é desestimulada e o uso da bicicleta tem importância subestimada.
[no item Federação/Estado] Algumas tarefas que devem ser essencialmente municipais: Assistência social e superação da pobreza; educação infantil e fundamental; promoção, prevenção e vigilância em saúde; atenção básica e pronto atendimento em saúde; apoio e promoção de atividades de cultura, lazer e esportes; mobilidade urbana; transporte público em quantidade suficiente e qualidade adequada de conforto, usando combustíveis mais limpos; prioridade para os pedestres; calçadas verdes e acessíveis; apoio ao uso da bicicleta; pedágio urbano nas grandes cidades para moderar o uso de veículos individuais e gerar recursos novos para a expansão do transporte público;

.:.

Obviamente, apenas um programa de bibliotecas e uma política de trânsito não são capazes de fazer funcionar um país. Li todos os programas, com especial atenção para o que diziam sobre meio ambiente, patrimônio histórico e imaterial, biodiversidade e educação.

Há candidatos de uma esquerda fossilizada, século XX, que dá medo. Lenin revivido. Medo parecido ao que me causa os candidatos de uma direita medieval  e intolerante. A morte em nome da cruz. Como não é assunto para este blog, deixo a sugestão que cada um faça o mesmo que eu fiz – é claro, buscando seus temas de interesse.

Apenas a proposta do PV me agradou. E não só porque cita bicicletas, pedágio urbano e outras medidas da mobilidade necessária ao século XXI. Fala em economia verde, cultura de paz. E a parte que transfere para os municípios e estados uma gama de políticas é extremamente sensata. Mais do que tudo isto, é a única proposta de governo que cita literatura – obviamente, livros!!

 “A FORÇA DA SIMPLICIDADE VOLUNTÁRIA

Se uma consigna pudesse resumir as preocupações dos PVs em todos os países onde estão presentes, e particularmente do PV do Brasil, que aqui trabalha por estas teses há 28 anos, poderíamos usar uma síntese baseada nos escritos e nas vidas de homens como Thoreau, Tolstoy e Gandhi: simplicidade voluntária. Esta é a energia renovável e inesgotável que move a revolução cultural verde.”

 Um programa de governo que, embora não fale em bibliotecas, cita Thoreau??
Eduardo Jorge ganhou meu voto.

Mas isto só a nível nacional.
Como discurso e visão de um mundo possível, o programa do PV é muito bom. Mas o PV deixa muito a desejar quando faz alianças regionais espurias. Por exemplo, a nível nacional disputa com o PT, mas aqui no DF faz aliança com o PT. Hã?? A única lógica disto é a lógica do oportunismo político. De que vale um programa de governo muito bem escrito, se na realidade dos fatos faz aliança com um partido que prega e faz justamente o contrário de uma economia verde, sustentabilidade, proteção ao meio ambiente?

Aff… mas a promessa que fiz ao meu filho vai falar mais forte desta vez. Afinal, apertar botãozinho, aparecer uma imagem e fazer um barulhinho engraçado, tudo não passa de um game. Videogame.

Bicicletas em defesa do meio ambiente!

meio_ambiente

Imagem retirada da galeria de fotos que ilustra reportagem da DeutscheWelle.

Aconteceu ontem a Cúpula do Clima das Nações Unidas, em Nova York. O maior evento deste tipo desde 2009.
Dois dias antes, no final de semana que passou, manifestações e marchas mundo afora levaram centenas de milhares de pessoas a se manifestarem com o objetivo de pressionar políticos para a conclusão de um acordo efetivo na proteção do meio ambiente.

As mudanças climáticas tornaram-se o maior desafio da história recente da humanidade.

Mas, para que as mudanças aconteçam de fato, é preciso VIVER o discurso. Não basta sair com cartazes, mandar memes no Facebook, ou deixar comentários irados ou apaixonados na internet.

Não por mero acaso, a Cúpula ocorreu no Dia Mundial sem Carros. O inimigo número 1 do clima são os combustíveis fósseis – ou, em português claro, carvão e petróleo, ou mais claro ainda: a gasolina que seu carro queimou hoje.

Barak Obama, David Cameron, Francois Hollande e vários outros presidentes de países estiveram no evento de um dia (inclusive Dilma Roussef, que mostrou o Brasil como “exemplo” mas não disse que nos dois últimos anos de seu governo o desmatamento da Amazônia aumentou 29%…). Todos enfrentam dificuldades políticas para colocar em prática os planos ambiciosos e necessários para reverter a catástrofe.
Por que, no fundo, a cadeia decisória vai descendo, o presidente faz planos, mas precisa ceder aos caprichos do deputado que diz que “defende os interesses de seus eleitores”. De fato, o poder está em nossas mãos.

Os governos não vão mudar nada, se você não mudar primeiro.

[.]

O caipira e a bicicleta

Minha cumadi, sabedora que sou um caipira da gema por tras desse palavriado todo, mi mandou ni meu faicebuque preu vê esse causo do Sô Geraldinho Nogueira.
Eita trem disgramado de bão! Cumé que eu nem conhecia?
Iscuita só procê vê – e tome cuidado pra num obrá de tanto ri.

Continuei assuntando na internete e deparei cum essa moda de viola “Caipira bicicleteiro”, de Nilsinho e Tanaka, que conta o mesmo causo desse caipira que foi andá de bicicleta sem sabê e se atresbuchô numa queda.

Percurando mais um tiquim, fiquei sabendo que saturdia teve o lançamento do filme “O caipira e a bicicleta”. O personage é Amâncio, o nosso Jeca Tatu distabocado de famoso, que pra ajudá a muié que si intojô arresolve ir pra cidade de bicicleta, sem sabê pedalá.

Caipira_Bicicleta_Filme

Só incontrei informações no Faicebuque, clique e dá uma espiadinha lá ó. E o filme só passô pros paulistas de Pindamonhagaba e Taubaté.

“O curta metragem foi realizado pelo Ponto de Cultura Fábrica de Documentários/TV Cidade Taubaté/Coletivo de Cinema da Cidade e a produtora independente Alex Produções; o trabalho foi todo cotizado entre os envolvidos. Os atores atuaram gratuitamente e até tiveram despesas com transporte, alimentação, vestimenta, etc.”

Aiê, sôdade da roça, da miringa de barro ionde eu bibia água friinha, da paçoquinha de pilão de pau, dos galin cantando quando o sol rachava mamona naquelas tarde infurnada…

[.]